A Psicopedagogia no tratamento de TDAH

Uma grande preocupação de pais e professores é o comportamento desatento, impulsivo ou hiperativo que algumas crianças apresentam no contexto escolar e dentro de casa, muitas vezes, dificuldades no processo de aprendizagem. Neste estudo, faz-se uma revisão na literatura sobre as crianças diagnosticadas com transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH), apontando a relação entre o comportamento e o fracasso delas no ambiente educacional. O objetivo é refletir sobre os pontos relacionados e a intervenção do psicopedagogo, visto que tanto pais como professores demandam a atuação desse profissional para a orientação sobre a forma mais coerente de lidar com a criança que apresenta esse tipo de transtorno.

+Entenda alguns transtornos e como podem afetar o aprendizado

O psicopedagogo, na sua maioria intervem na orientação à criança com esse tipo de distúrbio, mas também na orientação a pais e professores em como agir e proceder com a criança em questão que possua esse tipo de dificuldade.

Existem 4 pontos fortes, em que a princípio o psicopedagogo deva proceder:

• Comprometa-se em ser o melhor- Resultados extraordinários, acontecem quando você e a criança em questão dão o melhor de si para tornar-se o melhor possível em sua função mais importante;

• Faça com que a criança, faça uma busca que possam levá-lo mais adiante, fazendo com que essas mesmas crianças abram-se para novas ideias, novas habilidades, dar o seu melhor durante e pós tratamento passando a elas que tudo depende de seu esforço e sua vontade de ir além; Mostre para essa mesma criança que ela precisa reservar um bom tempo para sua prioridade mais importante, protege-lo e trabalhar dentro dele o mais eficientemente possível, será cada vez mais produtivo;

• Assuma resultados e faça por onde, ou seja, resultados extraordinários, pois agir como vitimas não vai funcionar. As mudanças ocorrem apenas quando você mesmo se responsabiliza. Saber das suas dificuldades também é um ponto a ser passado pelo profissional que estiver atuando. Ex:” saia do banco do passageiro e se torne um motorista”. Quando o psicopedagogo trabalha além da parte psicopedagogia e psicomotora e sim tem uma visão além… Esse trabalha a auto- estima do paciente levando-o a pensar e agir dentro das sua limitações, tornando assim a criança mais motivada, feliz e sempre querendo entender e aprender dentro do Tdah.

• Priorize o tempo em que estiver com a criança e escute o que a mesma tem para te passar dentro do seu cotidiano. É muito importante que o profissional vá além do seu tratamento, ou seja, interage com a criança, converse com a mesma, faça com que essa criança sinta segurança em seu tratamento e possa se desenvolver de forma natural como uma criança que não apresente nenhum distúrbio de aprendizagem. A criança precisa e necessita desse apoio, para obter resultados maravilhosos. Conclusão: O TDAH, não é uma doença e jamais deva ser tratado como tal. Na maioria das vezes um TDAH, possuí um intelecto muito mais alto do que uma criança que não tenha, ou seja, a capacidade intelectual dessas crianças são superiores, a de uma criança que não possua esse tipo de distúrbio.

Leda B.Martins

Fonte: http://www.sosmammys.com.br/psicopedagogia-no-tratamento-de-tdah/

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer fazer parte da conversa?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *