ama

Secretaria de Saúde quer despejar associação que cuida de autistas

Uma instituição que atende autistas há quase 18 anos entrou na mira da Secretaria de Saúde do Distrito Federal. O órgão tem feito constantes investidas com o objetivo de despejar a Associação dos Amigos dos Autistas (AMA) do espaço, localizado no Instituto de Saúde Mental, na Granja Riacho Fundo.

A entidade, sem fins lucrativos, atende em média 16 pacientes por mês, todos com mais de 18 anos. São pessoas que desenvolveram o chamado autismo severo e, portanto, necessitam de cuidados especiais em razão da total dependência. “Se a AMA sair da granja, não há para onde ir. Não existe tratamento para quem já é adulto”, diz Gilberto Ferreira Pereira, coordenador da associação e pai de uma jovem autista de 24 anos.

Segundo Pereira, os assistidos recebem aulas de artes, educação física, musicalização e ainda aprendem atividades rotineiras, como tomar banho, escovar os dentes e se alimentarem, a fim de que consigam reduzir o grau de dependência dos familiares. “Não existe no DF algo parecido. O que o governo quer é que sejamos atendidos pelos Caps [Centros de Assistência Psicossocial], que disponibilizam apenas uma hora por dia e com o paciente obrigatoriamente acompanhado”.

Em contato com a reportagem, a Secretaria de Saúde (SES) confirmou a informação. Por meio de nota, a Pasta informou que “o convênio com a Associação de Amigos dos Autistas não foi renovado, por isso foi solicitada a desocupação do local usado no Instituto de Saúde Mental (ISM).”

Segundo a gerência de Saúde Mental da SES, “o espaço será destinado à instalação de residências terapêuticas para pacientes com transtornos mentais graves e que não têm familiares no Distrito Federal, atendendo também determinação do Ministério Público”.

Angústia
A Pasta assegura que os pacientes atendidos pela AMA serão acolhidos em outras unidades da rede pública de saúde do DF. Mas o argumento não ameniza a angústia do coordenador da associação.

“O que há é uma intransigência do GDF, uma vez que o espaço é grande e poderia ser aproveitado ou adaptado. Mas nem isso eles aceitam conversar. Estamos desesperados”, afirma Gilberto Ferreira Pereira.

A Associação dos Amigos dos Autistas foi fundada em 2000 e, desde então, tem firmado convênios sucessivos com o governo local para o atendimento dos pacientes. A entidade não recebe recurso algum do GDF, que apenas cede o ambiente para a realização das atividades vivenciais.

O convênio está em aberto há dois anos e, apesar dos pedidos dos pais de autistas, a Secretaria não renovou a documentação.

 

Fonte: https://www.metropoles.com/distrito-federal/saude-df/secretaria-de-saude-quer-despejar-associacao-que-cuida-de-autistas

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer fazer parte da conversa?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *